RESPIRA e PULMONALE alertam: fumar mata cada vez mais mulheres

Fumar Mata cada vez mais mulheres

A Respira – Associação Portuguesa de Pessoas com DPOC e Outras Doenças Respiratórias Crónicas e a Pulmonale – Associação Portuguesa de Luta Contra o Cancro do Pulmão, com o apoio da AstraZeneca, estão a promover um movimento nacional de consciencialização para o impacto do consumo de tabaco na saúde feminina, com o tema “A beleza exterior NÃO engana”. A iniciativa digital vai ser lançada no âmbito do Dia Internacional da Mulher, que se assinala a 8 de março, nas redes sociais das Associações, com o objetivo de alertar a população feminina para o aumento das doenças respiratórias associadas ao tabaco.

 

A epidemia do tabaco é uma importante ameaça à saúde feminina, constituindo o principal fator de risco evitável de morte prematura e doença nas mulheres adultas. O número de mulheres a fumar no mundo tem vindo a aumentar, constituindo atualmente 20% de todos os fumadores e sendo responsável por 6% das mortes no sexo feminino.

Num dia dedicado às mulheres, esta iniciativa pretende sensibilizar sobretudo a população feminina, cujo hábito tabágico tem vindo a aumentar, e consequentemente a promover o aparecimento de doenças respiratórias graves, como a DPOC e o cancro do pulmão.

São vários os fatores que contribuem para este aumento, como por exemplo, o aumento do seu poder de compra, a emancipação feminina e a diminuição das restrições culturais e sociais, a falta de programas de educação para a saúde e de cessação tabágica específicos para mulheres e a existência de campanhas da indústria tabaqueira dirigidas a este target”, explica a Dra. isabel Saraiva, Presidente da RESPIRA.

 

O movimento digital “A beleza exterior NÃO engana” é composto por uma campanha de conteúdos para as redes sociais da RESPIRA e da Pulmonale e por um webinar com o tema “As Mulheres e o tabaco: riscos, impacto e desafios”, que irá ser transmitido no Facebook das Associações, de forma gratuita e sem necessidade de inscrição, no dia 11 de março, quinta-feira, pelas 19h00.

“A tendência de crescimento do consumo de tabaco pela população feminina trouxe novas preocupações para a saúde pública. As principais causas de morte na mulher são, em primeiro lugar, as doenças cardiovasculares; em segundo, as neoplasias malignas; e, em terceiro, as doenças respiratórias. As três causas podem estar diretamente relacionadas com o consumo de tabaco”, conclui a Dra. Isabel Magalhães, Presidente da Direção da Pulmonale.

 

Junte-se a este movimento, partilhe a imagem da campanha nas suas redes sociais com os hashtags #EuSouMulherMasEuNãoFumo; #EuSouMulherMasJáNãoFumo; #ABelezaExteriorNÃOEngana e #DIAINTERNACIONALDAMULHER.