Cuido de um doente com Cancro do Pulmão. Como me ajudar a mim próprio?

Apesar dos avanços nos tratamentos, os pacientes que enfrentam um diagnóstico de cancro de pulmão experienciam diferentes sentimentos e reações. É, indubitavelmente, uma fonte de grande sofrimento, não só para o paciente, mas também para quem está ao seu lado, enquanto cuidador.

Habitualmente, os cuidadores são parentes, parceiros ou amigos próximos, que têm um relacionamento pessoal significativo com o paciente. Estes prestam assistência ao auxiliar os pacientes em vários aspetos das suas vidas, tal como ajudar em atividades diárias ou fornecer apoio emocional, social ou financeiro. Neste cenário, estão incluídas não só tarefas físicas, mas sobretudo uma componente emocional incontornável, que pode levar a que os cuidadores negligenciem as suas próprias necessidades, em prol do doente.

 

Caso o leitor tenha o papel de cuidador de um paciente com cancro do pulmão, este artigo é para si.

A notícia de cancro do pulmão é sempre difícil para o paciente e restante rede de apoio. É necessário tempo para que todos se possam adaptar e ajustar à nova situação de doença. O processo de capacitação e adaptação do cuidador às diferentes necessidades impostas pela doença, pode e deve ser suportado e trabalhado ao longo do tempo, com ajuda especializada sempre que necessário, considerando a exigência que este papel impõe.

Tendo isso em mente, é importante que não se esqueça de cuidar de si e da saúde. Além de dar todo o apoio que o doente necessita, é importante que também seja e se sinta apoiado, de forma a estar na melhor condição para ajudar o seu familiar ou amigo.

 

Deixamos algumas dicas para o ajudar a ajudar-se durante este processo:

– Quando alguém lhe oferecer ajuda, aceite. Pense em formas de outras pessoas o conseguirem ajudar e, caso se ofereçam, diga que sim;

– Tente não se sentir culpado. Somos todos humanos e, às vezes, não conseguimos fazer tudo a que nos propomos. Estabeleça um foco diário e faça o possível – está a fazer o melhor que consegue;

– Seja realista ao estabelecer objetivos. À semelhança do ponto anterior, foque-se nas tarefas mais importantes e defina uma rotina diária que priorize o que deve fazer;

– Mantenha-se em contacto com a comunidade. Existem várias comunidades ou grupos de apoio a cuidadores onde pode partilhar experiências e ideias e que o podem ajudar;

– Não se esqueça de definir objetivos para si e para a sua saúde. Tente manter-se ativo, faça exercício, beba água e alimente-se de forma correta, ao lado da pessoa de quem está a cuidar. Além disso, estabeleça uma rotina de sono saudável e fale com o seu médico de família em caso de necessidade.  Afinal só estando bem consegue ajudar quem precisa.

 

Quer saber mais sobre esta temática? Deixamos aqui então outro artigo com comportamentos que um cuidador deve ter ao cuidar de doente oncológico.