Cancro do Pulmão: 1,8 Milhões de Mortes Estimadas Este Ano

De acordo com dados apresentados pela Agência Internacional para a Investigação do Cancro (IARC), estima-se que, este ano, surjam mais de 18 milhões de novos casos de cancro e ocorram 9,6 milhões de mortes, sendo que 1,8 milhões destas serão devidas ao cancro do pulmão.

Prevê-se que mais de metade das mortes ocorram na Ásia, devido ao limitado acesso a intervenções de diagnóstico e tratamento, que se verifica nos vários países deste continente.

Na Europa, a percentagem de mortalidade por cancro é de 20%, na América é de 14% e, em África, esta percentagem não ultrapassa os 6%.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o aumento do número de casos deve-se a vários fatores, como crescimento e envelhecimento da população e “mudança de prevalência de alguns tipos de cancro ligados ao desenvolvimento social e económico”.

De acordo com números divulgados a nível mundial, um em cada cinco homens, e uma em cada seis mulheres, desenvolve cancro em alguma fase da sua vida. Adicionalmente, um em cada oito homens, e uma em cada onze mulheres, acaba por morrer devido a esta doença oncológica.

O número de mortes por doença oncológica deverá ser próximo de 29 mil, segundo estimativas de 2018 da Agência Internacional para a Investigação do Cancro.

Em Portugal, prevê-se que surjam 58 mil novos casos de cancro, só este ano, sendo que 5.200 destes corresponderão a novos casos de cancro do pulmão.

O cancro do pulmão ocupa o quarto lugar de incidência em Portugal, sendo o mais incidente em todo o mundo.

A Agência Internacional da OMS alerta para o aumento no número de casos detetados em mulheres, sobretudo no norte da América, norte da Europa e Europa Ocidental, na China e na Nova Zelândia, considerando a situação “preocupante”.

O cancro do pulmão é o mais mortal tanto no mundo como em Portugal, seguido pelo cancro do cólon, do estômago e da próstata.